quinta-feira, 12 de julho de 2012

Parecer Descritivo ou Relatório do Aluno

Parecer Descritivo ou Relatório do Aluno


Considerações

“Por que é importante registrar? O ato de conhecer é permanente? Então está implícito o conhecimento como ato social e que esse educador fez história. Não existe sujeito do conhecimento sem apropriação de história. É o registro que historifica o processo para a conquista do produto histórico. Possibilita também a apropriação e socialização da memória, como história desse processo.” (Freire, M. 1989,p.5)


ANTES DE MAIS NADA, VAMOS LEMBRAR QUE...

·         Cada aluno é único e diferente. Pareceres iguais pressupõe alunos iguais;
·         O parecer descritivo deve complementar aquilo que foi registrado na página de habilidades. Portanto, não transcreva-as;
·         Precisamos ter um olhar inter e transdisciplinar. Portanto, vale abranger todos os campos do saber que de alguma forma se sobressaem no aluno. Mas não deixe de registrar especialmente, a Língua Portuguesa e a Matemática;
·         Lembre-se que o parecer descritivo é um documento que será utilizado na confecção do histórico escolar do aluno. Portanto, cuidado com as expressões pejorativas, julgamentos ou ambigüidades;
·         Principalmente para os alunos do Ciclo I de aprendizagem, registrar o nível de escrita.

DESAFIOS DO PROFESSOR
·         Prestar atenção em todos os alunos e em cada aluno;
·         Reunir o máximo de informações possíveis sobre o aluno, tanto no contexto individual quanto nas suas relações com o meio;
·          Considerar os instrumentos de avaliação;
·          Priorizar as produções;
·          Explicitar o desenvolvimento do aluno, considerando os aspectos sociais, cognitivos e psicomotores;
·          Priorizar os aspectos cognitivos e comportamentais;
·          Vincular o parecer à proposta pedagógica, aos planos de estudo e aos planos de trabalho;
·          Indicar estratégias para a superação das dificuldades;
·          Apontar a participação, a interação, a colaboração;
·          Refletir profundamente sobre a ação educativa;
·          Despir-se de concepções sócio-afetivas e emocionais sem desumanizar-se.

“A escrita – representação da fala, re-apresenta o que nossa consciência pedagógica se deflagra”.  (Freire, M. 1989, p.5).


PONTOS DE ATENÇÃO

·         Registros de avaliação exigem exercício do professor:
·          de prestar atenção nas manifestações dos alunos (orais e escritas);
·          de descrever e refletir teoricamente sobre tais manifestações;
·          de partir para ações ou encaminhamentos ao invés de permanecer nas constatações.

O QUE NÃO DEVEMOS FAZER?

·         Listar apenas algumas habilidades aleatoriamente sem uma conexão;
·          Enfatizar apenas as habilidades que o aluno ainda não adquiriu, aparentando muitas vezes, que o “problema” é irreversível.
EX. “o aluno não conhece”, “não sabe”, “não realiza”, etc...

SUGESTÃO: Substituir por “ainda não conhece” ou “precisa desenvolver” ou “será necessário trabalhar”


O QUE FAZER?

·         Abordar questões COGNITIVAS que revelam a observação ou compreensão do aluno em seus estágios de desenvolvimento;
·          Analisar as possibilidades do aluno se desenvolver, de ir além naquela habilidade ainda não adquirida;
·          Descrever o desenvolvimento próprio de cada criança destacando seus avanços e conquistas;
·          Expor as necessidades e intervenções a serem feitas durante o processo de ensino-aprendizagem.

O QUE PRECISAMOS SABER?

·         Que habilidades e conhecimentos foram trabalhados com o aluno?
·         Quais os avanços que o mesmo vem demonstrando nestas áreas?
·         Apresenta alguma área a ser melhor desenvolvida?
·         Que sugestões você oferece neste sentido?
·          Atividade? Jogos? Leituras? Que trabalhos você vem realizando junto aos alunos?
·          Como o aluno se refere ao seu desenvolvimento neste período?

REDIGINDO O PARECER...

·         Levar em conta os destinatários;
·          Utilizar linguagem cuidada, clara, simples, precisa e adequada ao público;
·          Considerar o caráter oficial do documento;
·          Observar ortografia, concordância e formatação;
·          Nomear os pareces; 
·         Evitar palavras diminutivas;
·         Utilizar verbos e expressões que indiquem processo; Utilizar linguagem cuidada, clara, simples, precisa e adequada ao público;
·          Considerar o caráter oficial do documento;
·          Observar ortografia, concordância e formatação;
·          Evitar palavras diminutivas;
·          Utilizar verbos e expressões que indiquem processo;
·          Evitar contradições
·          Evitar comparações;
·          Evitar contradições
·          Evitar comparações;
·          Ser coerente;

COMO INICIAR UM PARECER

·          “Percebe-se o progresso de... durante este trimestre em...”
·          “Com base nos objetivos trabalhados no trimestre, foi possível observar que o aluno...”
·          “Observando o desempenho da aluna..., foi constatado que neste trimestre...”
·          “Com base nas avaliações realizadas, foi possível constatar que a aluna... identifica...”

ESCREVENDO SOBRE O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO

·          “Demonstra um ótimo/bom aproveitamento na aquisição da leitura e escrita.”
·          “Lê com fluência diferentes textos, fazendo conexões com a realidade.”
·          “Lê e interpreta os textos trabalhados em aula sem maiores dificuldades.”
·          “Escreve, ordena e amplia frases, formando textos coerentes e lógicos.”

ESCREVENDO SOBRE A PARTICIPAÇÃO/CONVÍVIO SOCIAL

·          "Demonstra respeito pelos colegas e professores";
·          "Colabora nas atividades coletivas, atuando em grupo";
·          "Aceita sugestões da professora e dos colegas";
·          "Contribui para a integração e o crescimento do grupo".

PARA REFLETIR...

“O parecer é, sobretudo a imagem de um trabalho. Ao relatarmos um processo efetivamente vivido, naturalmente encontraremos as representações que lhe dêem verdadeiro sentido”.  (Jussara Hoffmann, 1998.)

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário